Agricultura Familiar – Desafios e Oportunidades no Campo

Agricultura Familiar – Desafios e Oportunidades no Campo

A agricultura familiar é um dos tipos de agricultura, no qual é desenvolvida em pequenas propriedades rurais, a colheita dos produtos servem para o consumo de seus produtores e de parte da população. O meio de produção recebe esse nome por ser realizada por pequenos agricultores e poucos empregados, ou seja, um grupo familiar. Conheça neste artigo o que é agricultura e os tipos de sistemas, qual a importância da agricultura familiar e como a mesma se desenvolve no país.

Algo importante a ser mencionado é uma declaração da Assembléia Geral das Nações Unidas que classifica o ano de 2014 como o “Ano Internacional da Agricultura Familiar”. Declaração essa que se tornou um grande passo para o reconhecimento e importância da agricultura familiar ao redor do mundo.

filme agrícola

Antes de conhecer a agricultura familiar e sua importância, trouxemos um breve resumo sobre o que é agricultura, tipos e sistemas. Confiram a seguir!

O que é agricultura?

Uma atividade econômica, a agricultura é pautada no sistema de produção de vegetais e cultivos para consumo humano. A agricultura é uma atividade muita antiga que ficou marcada no momento de desenvolvimento do homem, de vida nômade, que decide estabelecer-se em um local para cultivar a terra e produzir seu próprio alimento.

Sistemas agrícolas

A agricultura engloba dois tipos de sistemas de plantio bem básicos, que são agricultura extensiva (baixa produção, técnica simples ou rudimentar, pequena extensão de terra conhecida como minifúndio) e a agricultura intensiva (com alta produtividade, técnicas modernas e com mecanização, grandes extensões de terras chamadas de latifúndios).

Tipos de agricultura

  • Agricultura Orgânica

Também conhecida como agricultura biológica, a mesma surgiu no século XX e foi denominada como cultivo verde. Esse tipo de agricultura tem como objetivo o equilíbrio ambiental e desenvolvimento social de produtores, além de estar associada ao desenvolvimento sustentável. Desse modo, os alimentos orgânicos são cultivados através de um controle biológico contra pragas.

O plantio possui técnicas de baixo impacto ambiental, como exemplo, rotação de culturas, adubo verde e compostagem de matérias orgânicas.

  • Agricultura Comercial

Conhecida como agricultura moderna ou de mercado, neste tipo de plantio é cultivado a monocultura (cultivo de um único tipo de alimento). Essa atividade está voltada para o comércio de produtos cultivados, produzidos em larga escala em latifúndios com uso de substâncias, como fermentos químicos, inseticidas, agrotóxicos, adubos e outros itens.

Além das técnicas modernas para cultivo, são realizadas manipulações genética de algumas sementes, uso de máquinas, mãos de obra especializadas, como exemplo, agrônomo, técnico agrícola e engenheiro.

  • Permacultura

É um processo agrícola que se integra ao meio ambiente e envolve a produção de plantas dos tipos permanentes e não permanentes, considerando os aspectos paisagísticos e energéticos.

  • Agricultura Familiar

Esse tipo de agricultura é denominado como agricultura de subsistência, mas é mais conhecido como agricultura familiar, neste caso o cultivo é baseado na policultura. O processo de plantio é realizado a partir de técnicas mais rudimentares e em minifúndios, sem o auxílio de processos de adubagem ou maquinas.

Desse modo, a própria família e poucos empregados do agricultor são responsáveis por auxiliar no cultivo, cuidado e colheita dos alimentos. Mantendo assim, uma economia agrícola fechada para autoconsumo e consumo da pequena população em alguns casos.

Qual a importância da Agricultura Familiar?

Mesmo que a agricultura familiar seja uma atividade de muita importância para as famílias da zona rural, mais da metade da população brasileira consome alimentos provenientes da agricultura familiar.

Nesse processo de plantio, as técnicas de cultivo e extrativismo que envolve práticas mais tradicionais e conhecimento popular, estão presentes. Além disso, a agricultura familiar é um meio de obter renda, pois as famílias vivem  da venda dos alimentos que plantam, portanto, a agricultura é uma importante fonte de renda para as famílias rurais, da qual surge o trabalho em equipe que é realizado nos campos.

A agricultura familiar contribui para o emprego no campo e renda de diversas famílias, melhora a sustentabilidade de atividades do setor agrícola. Assim, a qualidade dos alimentos são superiores aos convencionais.

Agricultura familiar no Brasil

No país, a agricultura familiar está presente na maioria das propriedades rurais do Brasil. Mais da metade da prática está localizada no Nordeste, que é o responsável por mais de um terço da produção total de alimentos no país.

Entretanto, as dificuldades que são enfrentadas pelos pequenos produtores e a expansão do agronegócio têm feito com que problemas de ordem social e econômica, afetem a agricultura familiar. Sem perspectivas, infraestrutura e uma imensa desigualdade social, as famílias sentem a necessidade de abandonar o campo. O que ocasiona a super polução no centro e dá oportunidades para marginalização.

Além da mecanização, o agronegócio tem um modelo de produção de alimentos que é baseado no lucro. Desse modo, o uso de agrotóxicos e monocultura nos latifúndios tem sido um fator agravante para famílias que residem no campo e depende da agricultura familiar como fonte de renda. No entanto, a resistência de famílias ainda tem sido um fator de muita importância para diminuir o impacto ambiental que é causado pelos meios da agricultura moderna.

No ano de 2006, foi sancionada uma lei considerada como avanço na definição de políticas públicas no setor de agricultura. A Lei nº 11.326 estabelece conceitos, princípios e diretrizes para criação de uma política consistente e eficiente perante a agricultura familiar e os empreendimentos de famílias rurais.

Produtos produzidos pela agricultura familiar

A principal característica da agricultura familiar envolve a policultura, ou seja, um plantio de diversos tipos de produtos. Em todos os biomas do território nacional é possível encontrar produtos comercializados por produtores da agricultura familiar.

Entre eles, destacam-se legumes, frutas, verduras e animais, sendo alguns dos seus principais o milho, mandioca, feijão, café, trigo, arroz, leite e outros.

Agricultura familiar e sustentabilidade

Com as práticas tradicionais de cultivo que possuem baixo impacto ambiental, a agricultura familiar contribui de forma positiva para a sustentabilidade e responsabilidade socioambiental. Pois, esse tipo de agricultura adota práticas de cultivo mais sustentáveis com o cultivo de alimentos orgânicos. Entretanto, o avanço da mecanização tem prejudicado o meio ambiente, população, fauna e flora das regiões cultivadas.

O uso de substâncias como os agrotóxicos e o desmatamento para que realização das plantações e seu cultivo causam grande impacto no meio ambiente em vários tipos de ecossistemas. A poluição, desertificação e empobrecimento do solo são algumas das consequências do agronegócio.

Aos poucos esses fatores têm dominado o cenário da agricultura no Brasil, desestabiliza e afeta diretamente o meio ambiente. Portanto, a agricultura familiar e projetos realizados pelo governo são primordiais para resistência da família do campo e colabora com a qualidade de vida, produção de produtos em menor escala e preservação do solo. Alguns programas como o PRONAF (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), PNAE (Programa Nacional Escolar) e o PGF (Programa Garantia de Safra), são essenciais para proteção da agricultura familiar.

Deixe um comentário