Silagem – O que é, como funciona e tipos de Silo com Lona Dupla Face

Silagem – O que é, como funciona e tipos de Silo

Você sabe quais os tipos de Silagem com LONA DUPLA FACE PARA SILAGEM (CLIQUE E COMPRE AQUI), para que servem e como são utilizadas? Confira em MomentoAgrodoBrasil tudo sobre lona para silagem. Vantagens e desvantagens, como é realizado o processo e os principais tipos de silo.

O que é silagem?

A silagem é um método para conservar a forragem verde, principalmente os restos agroindustriais ou alimentos como a banana, a mandioca, as frutas cítricas e o peixe, em armazéns conhecidos como silos. Por meio de um processo de fermentação anaeróbico controlado, geralmente coberto com lona plastica apropriada, a composição do material da silagem é mantida estável por um longo tempo através da acidificação do meio.

Por outro lado, a Silagem é também o produto final da fermentação anaeróbica controlada em forragem ou resíduo agroindustrial, atividade que ocorre dentro do silo.

O silo, por sua vez, é o depósito ou armazém em que o material a ser ensilado é confinado com o objetivo de realizar a fermentação. No entanto, o silo não se limita exclusivamente a esse processo, mas também é usado na agricultura como um depósito de grãos.

silo para gado
alimentação com silagem

Como funciona o processo de silagem?

Alimentos a serem ensilados são comprimidos e cobertos com lona plastica de modo a evitar a presença de oxigénio e possível decomposição, passa por uma série de transformações bioquímicas que permitem conservá-lo ao longo do tempo através da ação de enzimas nas plantas, que ocorrem em os processos respiratórios e posteriormente no metabolismo bacteriano dos carboidratos e proteínas do material ensilado.

Neste método de conservação através da silagem é levada a cabo uma série de diferentes processos de fermentação. Como por exemplo a fermentação acética, onde certas bactérias coliformes produzem ácido acético a partir de ácido láctico. Tal atividade requer uma temperatura de 18 a 25 ºC onde são desenvolvidas em células vegetais. A fermentação láctica, por sua vez, ocorre por bactérias de ácido láctico. Essas bactérias degradam os açúcares e outros hidratos de carbono solúveis em forragens. A fermentação resulta na produção de ácido láctico. As bactérias que realizam esse processo precisam de condições livres de oxigênio.

Fermentação na Silagem

Outras fermentações secundárias são processos bacterianos indesejáveis ​​e devem ser minimizadas. O mais perigoso é a fermentação butírica que é produzida por bactérias que se desenvolvem entre 20-40 ºC. O aumento da amônia gerado por essas bactérias tende a favorecer a proliferação de espécies do gênero Bacillus. Essas bactérias geram ainda mais amônia, e alguns microrganismos nocivos que apodrecem os alimentos armazenados no processo de silagem.

Uma fermentação alcoólica também pode ocorrer, a cargo de leveduras, com produção de etanol e outros álcools; Embora tenha pouco efeito no processo de silagem, uma formação excessiva de álcools se traduz em um perigo de toxicidade para o gado.

Controle de Fermentação na Silagem

Para que exista uma fermentação ótima e bem controlada, é necessária a proporção adequada entre bactérias lácticas e carboidratos solúveis no silo. No entanto, devido à falta de tais hidratos de carbono ou de baixo teor de matéria seca em alguns forros a ser ensilado, para evitar a produção de silagem de má qualidade podem ser utilizados diversos aditivos para induzir e otimizar o processo de fermentação. Tais como melaço, polpa cítrica ou milho esmagado, que fornecem uma fonte de açúcares solúveis que a bactéria usa para produzir ácido láctico, estabilizando assim o meio.

A silagem deve ter mais do que 70% de umidade e aditivos para assegurar que o nível de açúcares solúveis é suficiente para realizar o processo. Outra maneira de otimizar a fermentação é através da introdução de enzimas que atuam no substrato.

compactação silagem
produção de silagem

Qual é a função da silagem?

A principal função da silagem é produzir alimentos para animais (principalmente ruminantes: mamíferos herbívoros) quando há escassez de alimentos nas estações mais secas do ano. O produto final na silagem deve ser obtido sem produzir substâncias tóxicas para a saúde do animal durante o processo, com um mínimo de perdas de matéria seca e nutrientes, mantendo um bom sabor nos alimentos para o gado, além de conservar seus nutrientes na mesma proporção.

Inicialmente, o objetivo da técnica de silagem foi a conservação da forragem úmida em condições ótimas, sem alterar os nutrientes de qualquer alimento. No entanto, a silagem não só é usado para esta finalidade, mas também para a preservação da agroindústria da mandioca subprodutos, peixe, banana, cana-de-açúcar, milho, entre outros.

Observações para uma Silagem de qualidade

A silagem é uma técnica muito bem sucedida e fácil de fazer. No entanto, há alguns pontos que devem ser observados antes de realizar o processo, a fim de obter um produto de boa qualidade e, assim, evitar perdas econômicas prejudiciais. Para isso, o material a ser ensilado deve ser coletado no estágio completo de maturação para garantir o máximo de rendimento e bom conteúdo nutricional, de modo que os nutrientes essenciais permaneçam.

Também será preciso otimizar a umidade do silo reduzindo ou aumentando-a. A complementação com aditivos para melhorar a conservação ou aumentar o valor nutricional do produto, evitar a entrada de ar distribuindo de maneira uniforme forçando o silo e, finalmente, vedar perfeitamente para evitar a deterioração.

Quais as características de uma boa silagem?

As características de uma silagem adequadamente elaborada são o cheiro, a ausência de mofo, a cor e a palatabilidade do produto. De fato, deve possuir um agradável odor de álcool e ácido como resultado da fermentação. Características em contraste com o mau cheiro da silagem ruim; não deve haver mofo nele, pois, se estiver, não estará apto para o consumo; A cor que deve ter é verde acastanhado, uniforme por fora e por dentro. Assim como a palatabilidade adequada, o que faz com que a silagem seja bem aceita e ingerida pelo animal.

utilização da silagem com lona
abertura do silo

Vantagens e desvantagens da silagem

Entre as vantagens da silagem de forragem estão às seguintes:

  1. Permite o armazenamento de alimentos que não podem ser henificados por seu alto teor de umidade, como em produtos agro-industrial, farelo de soja ou algodão, cascas de frutas, os grãos cervejeiros e outros grãos, alguns subprodutos de peixe e muitos outros.
  2. Os recursos alimentares podem ser armazenados por períodos prolongados sem alterar sua composição e qualidade nutricional.
  3. Os lucros são obtidos a partir do excedente de forragem, pastagem e resíduos agroindustriais ensilados durante o inverno, intensificando a produção de forragem e aumentando a carga animal por hectare.
  4. A comida é distribuída de forma eficiente ao longo do ano, especialmente na época crítica da escassez.
  5. A perda de algumas partes da planta que não são usadas em outros tipos de conservação de forragem é minimizada.

No entanto, silagem também tem algumas desvantagens. Porque exige um investimento considerável (trator, ensiladora, silo) ou seu equivalente em locação dos veículos e outros materiais. Além de possíveis perdas causadas pela decomposição, se o material a ser ensilado não for armazenado corretamente.

Quais os tipos de silo são usados na silagem?

Os silos utilizados no processo de silagem têm a capacidade de armazenar produtos para diversos clientes. Pode ser aplicado nos ramos agrícolas, alimentar, biocombustível e/ou biomassa.

Confira a seguir alguns dos principais silos:

Silos trincheira 

O silo trincheira é o mais utilizado para silagem, pois permite que ocorra uma boa compactação, possui baixo custo em sua construção, além de ser simples de manusear. Na construção deste silo, são aproveitados terrenos acidentados, onde é realizada a escavação com máquinas, o que permite revestir ou não as paredes e bases. Quanto mais inclinado for o terreno, melhor a execução do silo trincheira.

Silos de superfície

Esse tipo de silo não é propriamente uma instalação, mas uma técnica de armazenar forragem. Porque a ensilagem é construída no nível do solo, sem que haja a necessidade de uma instalação previamente construída.

O Silo de superfície é montado através da compactação e cobertura do material utilizando uma lona plástica. Por não precisar de instalações, o custo deste silo é baixo. No entanto, ele não pode ser feito para comportar um volume muito grande de silagem. Porque seu o seu potencial de compactação na ensilagem é menor, o que determina riscos de deterioração do material ensilado.

O uso desse silo é indicado para materiais com alta umidade que são mais fáceis de compactar.

Silos aéreos

Os silos aéreos são pouco utilizados aqui no Brasil, devido ao seu alto custo. A construção é mais complexa e exige o detalhamento das fundações e estruturas, além da dificuldade do custo de carga e descarga da silagem.

No entanto, este silo possui a vantagem de maior compactação de massa ensilada, por conta do próprio peso da massa. Um fator importante é que o silo aéreo necessita de uma área pequena para que possa ser construída.

Silos cisternas

Assim como o silo aéreo, esse tipo não é muito utilizado, devido ao seu formato cilíndrico, no entanto, a sua construção é realizada sob o solo. Com as perdas de massa ensilada apodrecidas, problemas de compactação, tanto a colocação ou retirada de massa ensilada é trabalhosa. O que pode causar intoxicação por metano e outros gases tóxicos nas pessoas que trabalham no local realizando a retirada da silagem neste silo cisterna.

Lavouras para silagem

Diversos tipos de lavoura podem ser ensiladas, só depende da disponibilidade dos recursos e do espaço do produtor rural. Alguns dos principais tipos de silagem são:

– Silagem de Milho: A mais utilizada no país e reconhecida pelo seu alto valor nutricional.

– Silagem de Sorgo: Esse tipo de silagem é mais barata do que a do milho, porém, seu valor nutricional é baixo.

– Silagem de Capim: Vem tornando-se a silagem mais comum no Brasil, pois é considerada a lavoura mais barata para produção.

Deixe um comentário